72% dos e-commerce são comandados por mulheres.


Abrir um e-commerce, se tornou a alternativa de muitos brasileiros para driblar a crise e continuar trabalhando mesmo diante do inesperado fechamento das lojas no ano de 2020.


Diante desse cenário caótico, foi preciso reinventar-se. E investir em uma loja virtual foi uma das maneiras mais sólidas de continuar no mercado.


Crie, agora, seu e-commerce gratuitamente!

www.ecommerceintegrado.com.br


Quem lidera o mercado de e-commerce hoje?


Dessa forma, você já parou para pensar sobre as características de quem colocou a “mão na massa” e entrou para esse mundo de lojas virtuais?


Um estudo realizado pelas instituições: Data Nubank, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), revelam a porcentagem de quem mais acreditou no setor que fez história.


Mulheres são maioria no comando de lojas virtuais


Cerca de 72% dos empreendedores que entraram para o ramo de vendas digitais são mulheres, contra 64% que são homens.


Não é de hoje que o público feminino tem se destacado em vários setores, inclusive quando se fala em compras. Investir nesse público é sempre uma boa ideia.


As vendas online, realizadas por mulheres também são maiores


O levantamento mostra ainda, que as empreendedoras também são as responsáveis por realizar a maioria das vendas online.


Ou seja, 75% do faturamento do setor hoje é proveniente de vendas via redes sociais, aplicativos ou internet no geral de lojas virtuais comandadas por mulheres, contra 15% dos homens no total.


O que causa todo esse sucesso?


Não há como afirmar, porém tudo indica que esse cenário é motivado pela tripla jornada de trabalho das mulheres e sua flexibilidade de horários para atender nessa nova modalidade de vendas, por exemplo.


Outro fator que poderia ser relevante, é a maior escolaridade média das mulheres quando comparadas aos homens que empreendem.


Nubank reafirma desigualdade de renda entre gêneros


Apesar de todo o sucesso e esforço para se destacarem, um fato ainda chama a atenção na pesquisa. Segundo o Nubank, mesmo vendendo mais, a renda das mulheres empreendedoras ainda é inferior à dos homens.


Ou seja, segundo os dados, os clientes do Nubank que possuem conta PJ, obtiveram nos sete primeiros meses de 2021, uma receita média 23% maior do que a das mulheres, por exemplo.


No ano anterior, essa diferença era menor e foi de apenas 10,8%. Portanto, durante a pandemia as rendas se distanciaram ainda mais.


Com todas essas estatísticas, fica difícil não acreditar no potencial das mulheres e o quanto elas podem chegar longe! Para te inspirar a abrir seu e-commerce em 2022, conheça 5 mulheres no e-commerce com histórias inspiradoras!


1. Ana Lúcia Fontes


Existem muitas pessoas que trabalham anos em um lugar, mas sentem que podem contribuir muito mais em outro tipo de negócio e até empreender. Foi exatamente o que passou pela cabeça de Ana Lúcia Fontes. Ela trabalhou durante 17 anos como executiva de uma grande empresa, mas se demitiu de um cargo estável para buscar algo que a fizesse mais feliz.


Foi então que, durante o “10.000 Mulheres”, um curso de capacitação para mulheres empreendedoras, Ana percebeu que não era a única com dificuldades para entrar no mundo do empreendedorismo. Pensando em resolver esse cenário, ela criou um espaço virtual chamado Rede Mulher Empreendedora, em 2010.


A plataforma tem como principal objetivo proporcionar informações, dicas, notícias e ampliar a discussão sobre os melhores caminhos para desenvolver o empreendedorismo feminino. O espaço virtual apoia mulheres empreendedoras em todo o Brasil e já ultrapassou a marca de 36 mil cadastros no site.


2. Zica Assis


No mundo do empreendedorismo, é fundamental encontrar um diferencial para atrair a atenção de novos consumidores e clientes. Muitas vezes esse produto ou negócio pode ser encontrado em alguma dificuldade. Heloísa Helena Assis, mais conhecida como Zica, estava muito insatisfeita com os produtos que encontrava no mercado para seus fios de cabelo cacheados.


Então, a carioca, que trabalhou como babá, faxineira e nunca fugiu da luta diária para se sustentar, montou o seu próprio negócio. Em 1993, ela fundou o Instituto Beleza Natural, salão que tem como foco cuidar de cabelos crespos e ondulados por meio de produtos fabricados na própria empresa.


Na época, a notícia se espalhou rapidamente e atraiu a atenção de centenas de mulheres que também sentiam a mesma dificuldade. Atualmente, o negócio conta com mais de 40 pontos espalhados em vários estados brasileiros. Com isso, Zica Assis foi incluída na lista das 10 empresárias mais poderosas do Brasil, de acordo com a revista Forbes.


3. Mary Kay Ash


Apesar da sociedade ter sido moldada no passado com a equivocada ideia de que o empreendedorismo é um negócio para homens, muitas mulheres já lutavam contra esse cenário há décadas. É o caso da norte-americana Mary Kay Ash, fundadora da famosa e bem-sucedida empresa de cosméticos que leva o seu nome.


Nascida em 1918, casou-se aos 17 anos e teve 3 filhos logo em seguida. Dedicou 25 anos de sua vida trabalhando na empresa Stanley Home Products, e ao ver um homem muito menos experiente e qualificado do que ela ser promovido em seu lugar, decidiu deixar a companhia.


Escreveu um livro para ajudar mulheres a empreender e percebeu que havia construído um ótimo plano de negócios. Então, em 1963, juntou todo o seu dinheiro — cerca de 5 mil dólares — e iniciou um negócio no ramo de cosméticos. Atualmente, a multinacional Mary Kay está presente em mais de 35 países e atinge mais de 2 milhões de pessoas.


4. Rihanna


Muitas celebridades também investem no e-commerce e conseguem construir impérios e negócios que inspiram outras mulheres. É o caso da Rihanna, uma das cantoras mais famosas e bem-sucedidas do mundo. Além do sucesso nos palcos, ela criou uma marca de maquiagens chamada Fenty Beauty, que tem a diversidade como foco.


Recentemente, a empreendedora anunciou que vai investir em um novo negócio voltado para a venda de roupas de luxo. De acordo com Rihanna, a Savage X Fenty é voltada para todos os tipos de mulheres e corpos. A marca vai ser lançada no mercado em parceria com o grupo LVMH, responsável pela Louis Vuitton e Dior, duas das mais conhecidas no mundo.


5. Kylie Jenner


Kylie Jenner construiu um império de cerca de 900 milhões de dólares em apenas 3 anos, segundo a revista Forbes, sendo considerada a bilionária mais jovem da história dos Estados Unidos. A empresária — e também muito conhecida nas redes sociais, com mais de 148 milhões de seguidores no Instagram — investiu no ramo de cosméticos e maquiagens e é um exemplo de sucesso.


Dona de 100% da Kylie Cosmetics, a empresária utilizou de sua influência nas redes sociais para alavancar as vendas de seus negócios, tornando-se um grande case a ser analisado de como utilizar o mundo digital a seu favor. Com um e-commerce muito bem desenvolvido, Kylie Jenner é uma inspiração para mulheres que querem empreender.

11 visualizações0 comentário