Quanto custa vender nos Marketplaces?

Atualizado: Nov 17


Vender em marketplaces se tornou a opção de muitos lojistas que decidiram entrar no comércio eletrônico ou expandir seus negócios. Dados da Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) comprovam o crescimento substancial do setor. De acordo com a instituição, em 2019 os marketplaces representavam 35% do faturamento do e-commerce brasileiro. Já em 2020 esses shoppings virtuais aumentaram a participação para 51%.


Crie, agora, seu e-commerce gratuitamente!

www.ecommerceintegrado.com.br


Um dos motivos que ajuda a explicar a ascensão dos marketplaces é a facilidade para começar a vender e a possibilidade de começar praticamente sem capital de investimento. É que o modelo de negócio dessas plataformas na maioria das vezes trabalha com comissão pelas vendas realizadas, o que permite que qualquer lojista possa abrir uma loja virtual e começar a comercializar seus produtos.


Segundo a Ebit/Nielsen, os marketplaces brasileiros registraram R$73,2 bilhões de faturamento para a categoria em 2020. No período entre janeiro e dezembro foram registrados 148,6 milhões de pedidos, expansão de 38% em relação ao ano de 2019.


“É um crescimento super agressivo em número de pedidos e com ticket médio acima da média total do e-commerce, ou seja, são resultados super positivos para o marketplace”, comemora Marcelo Osanai, gerente comercial da Ebit/Nielsen, em fala durante a Marketplace Conference 2021.


Mas quanto custa vender em marketplaces? A seguir, trazemos informações sobre os custos que envolvem anunciar nos principais marketplaces brasileiros. As tabelas e taxas informadas foram apuradas em setembro de 2021. Vamos nessa?


Vender em marketplaces: quanto custa anunciar na Amazon?


Quando falamos sobre vender em marketplaces, a Amazon é um dos nomes que mais vêm à mente dos lojistas. Anunciar na Amazon é tido como um objetivo para muitos lojistas que já atuam ou querem atuar no e-commerce. O que explica o sucesso é o enorme alcance do marketplace e sua popularidade junto aos consumidores brasileiros.


De acordo com levantamento realizado pelo Bexs, 28% dos consumidores entrevistados afirmaram ter feito compras na Amazon em 2019. O curioso é que o número saltou para 55% dos consumidores no levantamento do começo de 2021. A Amazon e o Magazine Luiza são apontados nessa pesquisa como os marketplaces que mais crescem no país.


Mas se o lojista quer usar a Amazon para vender em marketplaces, quanto ele vai pagar? O lojista vai precisar pagar uma mensalidade + comissão por cada venda realizada. O valor dessa comissão varia de acordo com a categoria dos produtos, conforme tabela.


Existem dois tipos de cadastro para vender na Amazon: o individual e o profissional. Se o lojista optar pelo cadastro individual (até 10 vendas por mês), ele pagará R$2,00 por item vendido + a comissão por produto comercializado.


Por outro lado, se o empreendedor optar pelo cadastro profissional (mais de 10 vendas por mês), ele vai pagar R$19,00 por mês + comissão por produto vendido. Nesse plano, os três primeiros meses são gratuitos e a cobrança começa após esse período de testes.


A tabela que vai te ajudar a entender quanto custa vender na Amazon é essa aqui:




A tabela com as porcentagens das comissões cobradas por venda pode ser constantemente atualizada. Por isso, recomendamos que o lojista fique sempre de olho no site da Amazon.


📌 Importante: a Amazon cobra a comissão sobre o preço total do pedido (preço do produto + preço do frete). Isso significa que produtos com frete mais caro podem impactar significativamente no custo da comissão.


Vender em marketplaces como o da Amazon pode ser vantajoso, mas há outros custos além da comissão que precisam ser considerados. O do frete, por exemplo, é um deles.


A boa notícia é que o marketplace da Amazon é parceiro do Melhor Envio, plataforma de pesquisa e contratação de fretes com diversas transportadoras a preços até 80% mais baratos.


Para usar a solução, o lojista pode gerar uma tabela de fretes do Melhor Envio e integrá-la ao seu marketplace. Após criar uma conta no Melhor Envio, o empreendedor pode acessar a aba de integrações na plataforma e gerar uma tabela com os dados dos fretes praticados pelo Melhor Envio.


Basta inserir esses dados nas configurações de envio da Seller Central da Amazon e passar a calcular os fretes das entregas do seu pedido pelos parâmetros usados no Melhor Envio. Com custos de envio mais baratos, mais consumidores tendem a comprar na sua loja dentro da Amazon.


👉 Importante: Correios é a transportadora usada para calcular os preços da tabela gerada pelo Melhor Envio para a Amazon. Ao configurar a tabela, o lojista pode adicionar preço e prazo adicionais, que serão acrescentados a todos os pedidos calculados. Tal facilidade pode dar uma margem maior de segurança logística e ajudar a garantir que os pedidos cheguem no prazo.


Quanto custa vender no Mercado Livre?


O Mercado Livre é o maior marketplace do Brasil. Cerca de 60% da receita líquida do Mercado Livre na América Latina vem do Brasil, de acordo com dados divulgados pela própria empresa. Em 2020, o Mercado Livre foi o quarto marketplace mais acessado do mundo, com mais de 1 milhão de produtos vendidos por dia!


Usar o Mercado Livre para vender em marketplaces pode ser vantajoso, pois o lojista não paga taxa para se cadastrar ou anunciar no site, mas precisa escolher um plano: clássico ou premium. O que difere essas modalidades é o alcance dos anúncios e o preço da comissão sobre venda realizada. Aliás, essa comissão é definida de acordo com a categoria do produto, seguindo a tabela abaixo:



Para mais informações, consulte o guia de preços e planos do Mercado Livre.


Vender no Magalu: qual a comissão no Magazine Luiza?


Milhares de lojistas brasileiros estão optando por usar o Magazine Luiza para vender em marketplaces. A empresa tem como um de seus diferenciais um complexo sistema omnichannel, que permite que o cliente compre online e retire em uma das quase 1200 lojas físicas do grupo, distribuídas por mais de 800 cidades, de 21 estados brasileiros.


Quem é MEI ou tem uma pequena empresa cadastrada no Simples Nacional e ainda não é cadastrado no marketplace Magalu pode inscrever seu varejo no Parceiro Magalu e contar com condições especiais para vender no Magazine Luiza. Nessa modalidade, o lojista vai pagar 3,99% de comissão por venda + taxa de antecipação de 0,99% a.m. Essa taxa de antecipação é aplicada sobre o recebimento antecipado de valores que só serão efetivamente recebidos no futuro (como compras no crédito, por exemplo).


Para se cadastrar no Magazine Luiza e passar a vender em marketplaces é necessário ter um CNPJ aberto e ativo, além de emitir Nota Fiscal Eletrônica. Pessoas físicas com CPF não podem realizar vendas no marketplace.


Os lojistas online que não se enquadram nas condições para se tornar Parceiro Magalu podem se cadastrar gratuitamente no marketplace pelo modo tradicional, mas as comissões sobre vendas realizadas são mais elevadas, podendo chegar a 20%.


O Magazine Luiza não divulga tabela com as taxas cobradas, mas o lojista consegue consultar os valores tanto quando está concluindo seu cadastro quanto depois de cadastrado. Para isso, basta que ele vá em “Central do Seller”, no menu esquerdo do Portal Magalu, clique na aba “Financeiro” e em seguida em “Condições comerciais”.


📌 O Magalu não divulga uma tabela padrão de tarifas porque a comissão sobre produtos varia de acordo com as preferências do lojista. Se ele optar pelo modo de recebimento antecipado (quando recebe antes o valor das compras feitas no crédito e que estão programadas para caírem mais adiante), o lojista vai pagar um tipo de taxa. Se não optar pela antecipação, irá pagar outra porcentagem. Por isso, a tabela de tarifas varia de lojista para lojista. Para mais informações, visite a central de ajuda do marketplace Magalu.


💡 Está entrando agora no e-commerce e e precisa aprender mais sobre vender vender em marketplaces, plataformas de e-commerce e outras ferramentas? Nós te ajudamos! Baixe gratuitamente o e-book Guia Prático de Como Vender Online e tenha um material de consulta completo para te ajudar nessa jornada!


Quanto custa vender nas Casas Bahia e nos outros sites da Via Varejo?


Quando um lojista se cadastra na Via Varejo para vender em marketplaces, ele consegue expor seus produtos nos sites das Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, já que esses três marketplaces estão integrados e fazem parte do mesmo grupo empresarial. Esse alcance dos anúncios costuma despertar o interesse dos vendedores, além da ampla rede de lojas físicas (com mais de 1000 unidades) que permitem facilidades como a compra online e retirada nos pontos de vendas.


A audiência nos marketplaces da Via Varejo chama a atenção. De acordo com a própria empresa, os três sites recebem mais de 280 milhões de visitas por mês e registram mais de 150 milhões de buscas mensais. Além disso, são mais de 15 milhões de usuários ativos no app.


Não há cobrança de mensalidade para anunciar na Via Varejo. Há apenas uma taxa percentual por venda realizada, conforme tabela abaixo (divulgada pela própria empresa):



Para vender nas Casas Bahia, no Extra e no Ponto Frio é necessário ter CNPJ ativo e emitir nota fiscal. Isso significa que até quem é MEI pode se cadastrar e vender no marketplace. Pessoas físicas não conseguirão se cadastrar e empresas que ainda não emitem nota fiscal também não conseguirão concretizar as vendas. Mais informações podem ser obtidas no site da Via Varejo.


Quanto custa vender na B2W?


Usar a B2W para vender em marketplaces pode ser vantajoso porque a empresa representa três dos maiores marketplaces do Brasil: Lojas Americanas, Submarino e Shoptime. São mais de 17 milhões de clientes ativos e mais de 2 bilhões de visitas todos os anos!


Ao vender na B2W o lojista não paga mensalidade e precisará arcar apenas com uma porcentagem de comissão. O diferencial do marketplace é que tal comissão é fixa, independentemente da categoria do produto: 16% sobre o valor do item + taxa fixa de R$5,00 por venda.


Para se cadastrar e começar a vender nos marketplaces do grupo B2W, é necessário ter CNPJ ativo, emitir nota fiscal, obter um CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas, cadastro que categoriza o CNPJ), conta concorrente empresarial (vinculada ao CNPJ) e capital social da empresa mínimo de R$1.000,00. MEIs que se enquadram nessas regras também podem se cadastrar.


📍 Dica: assim como acontece na Amazon, a B2W também permite que o lojista crie uma tabela de frete do Melhor Envio e insira no marketplace, barateando os custos do frete e atraindo ainda mais clientes para sua loja virtual. Como fazer isso? Leia nosso artigo ou confira detalhes no vídeo abaixo:


Vender em marketplaces: quanto custa anunciar na Dafiti Marketplace?


A Dafiti Marketplace é um dos maiores shoppings virtuais de moda e calçados do Brasil para quem deseja vender em marketplaces. De acordo com a própria empresa, cerca de 30% dos usuários de internet do Brasil passam pelo site pelo menos uma vez por mês!


Ao vender na Dafiti, o lojista não paga mensalidade, mas apenas uma comissão por venda realizada, que varia de acordo com a categoria do produto. De acordo com o marketplace, se o lojista não realizar nenhuma venda no mês, ele não precisará pagar nada.


A Dafiti Marketplace não informa qual a porcentagem de comissão cobrada. Os valores podem chegar a 30%, mas há negociação entre lojista e a empresa antes da criação do contrato.


👉 Para vender na Dafiti é necessário ter CNPJ ativo, emitir nota fiscal e já possuir uma loja virtual com catálogo de produtos, pois esse catálogo será analisado para aprovação (ou não) do lojista.


A solicitação para vender na Dafiti pode ser feita neste site, onde o lojista deve preencher dados sobre sua loja online e aguardar retorno do marketplace com a proposta comercial.


Vender em marketplaces: quanto custa anunciar na Shopee?


Famosa por seu aplicativo de vendas, a Shopee vem ganhando cada vez mais espaço no mercado brasileiro de marketplaces. Para criar uma loja na plataforma, o lojista não pagará mensalidade, apenas uma taxa fixa de 12% sobre o valor do total do produto vendido.


De acordo com o marketplace, mais de 200 milhões de pessoas ao redor do mundo usam o aplicativo de compras. Os cupons de frete costumam ser o maior diferencial da ferramenta. Caso deseje oferecer cupons de desconto de frete em sua loja dentro da Shopee, o lojista pagará uma taxa extra de 6% sobre o valor do produto. O limite do desconto oferecido no custo do envio pode chegar a até R$25,00, dependendo do valor da compra.


📍 Para mais informações, visite a central do vendedor da Shopee.


E-Commerce Brasil



9 visualizações0 comentário